A OIM concluiu o mapeamento de atores públicos, privados e da sociedade civil, fornecendo 25 tipos de políticas públicas, iniciativas e programas de importância para os migrantes que retornam aos estados de Goiás, Minas Gerais e São Paulo. Consultores coordenados pelos escritórios nacionais da OIM em Portugal e no Brasil conduziram o exercício de mapeamento parte do projeto Mecanismo Complementar Conjunto para Reintegração Sustentável no Brasil (SURE)

Os consultores mapearam mais de 1500 iniciativas nas cidades de Anápolis, Aparecida de Goiânia, Goiânia e Inhumas, no estado de Goiás; São Paulo, Araçatuba e Ribeirão Preto, em São Paulo; e Belo Horizonte, Betim, Governador Valadares, Ipatinga e Uberlândia, em Minas Gerais. Essas cidades conhecem fluxos de emigração e retorno e exercem graus variados de influência nas cidades e regiões vizinhas.

Os consultores identificaram um grupo de parceiros locais que prestam serviços e assistência de relevância que podem participar da Rede de Referência para Apoiar a Reintegração de Retornados Brasileiros. Os protocolos de colaboração serão formalizados com esses parceiros, que, posteriormente, participarão de um treinamento de treinadores organizado pela OIM.

O projeto também propõe a criação de um mecanismo de coordenação e de referência que permitirá o encaminhamento dos retornados aos atores locais no Brasil e garantir um processo de reintegração mais sustentável no país. O mapeamento é baseado na abordagem integrada da OIM para a reintegração, que reconhece a necessidade de intervenções holísticas em três níveis – individual, comunitário e estrutural – para garantir a sustentabilidade e em três dimensões: econômica, social e psicossocial.